O ímpeto da maldade

À flor que ali existia apontaste a tua pistola,
uma granada jogaste onde um tatu fizera a sua cova.

Vai, então, impor ao mundo a tua ira.
Vai lá, aponta-lhe a tua ojeriza e o fuzila.

Bailava a menina quando nela desenhaste a tua máscara.
Dois homens se amavam onde tu plantaste a tua invídia.

Vai, então, mostrar ao mundo a tua barbaria.
Vai lá e lhe oferece doze golpes e uma ripada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s