Suplício no Simpósio

Há quem valorize
cansativa ruminância
horas e horas a fio
cozer milhões de ovos
um a um com um pavio
descascá-los com tesoura
sonhá-los com feijão
A tarde inteira  dormir
em língua estrangeira
infecciosa digestão

Há quem a suporte
há quem não

Mais gotas d´água
em poça transbordante
poucas marias, poucos joões
exploram insistentemente
outras poucas opiniões
Sol por detrás da persiana
sem música no salão
prescindível ocupação
besteira expelida
sobre o óbvio da questão

Há quem a suporte
há quem não.

Poema publicado originalmente em 23 de Setembro de 2007.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s