Saco de Batatas

Reduzir o amor a um saco de batatas
na feira ou no supermercado.
Se fofo, joga-o fora, se durinho, carrega.
A casca manchada, doença.
A casca lisa, saúde em casa.
Lava-o, descasca, corta, coze e usa.
Com carne, com cenoura, noz-moscada ou chuchu.
Em rodelas, na testa, bom para dor de cabeça.

Reduzir o amor a um saco de batatas
na feira ou no supermercado.
Agroquímico pesticida
proporciona a casca lisa, macia.
Na cozedura, o veneno o tempera.
A polpa amarelada suculenta te espera.
Vazia de proteína, a comida aborta a paz.
Irremediável acidente vascular cerebral.

Poema escrito em 2005.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s