Fumaças na Memória

Eu, que fumava cigarros

Eu, embevecido de promessas, envolto em escuridão
Eu, quando pensava em morrer antes dos 50 anos
ainda que sobrevivessem em mim um palhaço e um rei
avizinhados de uma odalisca em fuga
e de um touro indômito, porém cansado

A fumaça esvaia-se pela janela
Eu, escondido de mim mesmo
parado, insatisfeito e tenso
louco para que se me ultrapassassem anjos
anjos, que me arrancassem da boca o ardente bastão

Quando tudo parecia tão promissor e escuro
eu, que havia morrido aos 28
vivos, uma odalisca, um palhaço e um rei, entretanto
parado, um touro indômito e cansado
Eu, que fumava cigarros.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s